Connect with us

Dando continuidade a entrevista com os jogadores da INTZ que lançamos semana passada, chegou a vez de incomodarmos um pouquinho o psicólogo Claudio Godoi e o Assistant Coach Lucas Pierre, para entender um pouco melhor como funciona a staff de um time do CBLoL, e entender melhor como funciona a preparação dos players.

Confira nossa conversa!

Claudio, Houve algum jogador que o trabalho psicológico ajudou mais? E como foi lidar com a mudança de time para esse split?

Claudio: Não teve nenhum jogador que teve algo específico, eu trabalhei pelo menos nos aspectos da psicologia com todos eles, a maior parte do trabalho é em equipe, sempre pegamos uns aspectos individuais de um jogador ou outro, mas o grande objetivo é fazê-los funcionar como um time.

Em relação a troca dos jogadores, o trabalho em si, a base do trabalho continua a mesma, a diferença é que como estamos com uma equipe nova tudo isso precisou começar do 0. Se você troca um jogador você tem uma equipe diferente, que funciona de maneira diferente. Então eu sempre trabalho com base em avaliar o que está acontecendo nas dinâmicas ou como está o funcionamento de cada um em relação aos outros e intervir para que isso funcione de uma melhor forma, então em si isso continua da mesma forma.

Quando se passa muito tempo com as mesmas pessoas a convivência fica desgastada, você acha que foi por isso que houve mudança no time?

Claudio: Eu acho que não, até porque sempre se tem algum desgaste mesmo com aquele cara que é mais seu amigo. Eventualmente alguma coisinha que antes incomodava um pouquinho vai virando uma bola de neve.

No time anterior a gente teve um desgaste por não conseguir ter férias, porque conforme você ganha o primeiro campeonato você recebe a vaga para um outro, e jogando esse outro  o time ganha uma vaga para mais um. Essa é uma consequência  de ter um time que não perdeu, como foi a INTZ ano passado, eles não tiveram um minuto de descanso no decorrer de todos os campeonatos que participaram, a carga de trabalho vai exaustando, o nível de responsabilidade vai aumentando e eu acredito que isso vai levando a um desgaste, mas nós íamos trabalhando.

Em situações de convivência o que acaba desgastando são as pequenas coisas, por exemplo, o cara que deixa a pasta de dente aberta, aí você acha que é pouco de você falar sobre aquilo, isso vai virando um incômodo e às vezes você está em um dia ruim e isso tende a explodir.

O trabalho psicológico abrange isso, mas ele não é só isso. Mas, com o foco de fazer você conviver mais fácil com essas pessoas e com isso você conquistar um melhor vínculo e um jogo rolando mais fluido.

Claudio você acabou de falar sobre essa falta de férias para o time de 2016. Como está sendo a preparação com esse atual time já que vocês tem reais chances de ganhar o CBLoL, conquistando assim vaga pra outro campeonato.

Claudio: É um pouco cedo para dizer, o nosso objetivo é que tenha esse desgaste que a gente vá para o MSI, depois volte, jogue o segundo split,  depois o mundial e siga assim, mas o que incomoda é esse desgaste é que é muito individual, não seria nem no aspecto jogador então vai ser trabalhado mas a forma que será trabalhado depende muito da situação do que estará acontecendo no momento.

E para você Pierre como que é essa preparação para que caso aconteça o mesmo que houve em 2016 o time esteja mais preparado?

Pierre: Primeiramente estamos pensando no semana a semana, pegar os playoffs, jogar os playoffs, jogar a final, temos que dar um passo de cada vez e obviamente a gente almeja chegar no MSI, ir bem no MSI, e ganhar.

Mas, o ponto é que a gente não pode sofrer por antecipação, claro que a gente tem uma noção de que o competitivo na verdade quando ele começa ele é não é uma disputa de corrida de velocidade, ele é uma corrida de resistência principalmente para quem ganha e fica por muito tempo no topo como a INTZ ficou no ano passado, a gente tem sim o planejamento para esse tipo de coisa como por exemplo, nesse carnaval a gente teve um descanso, alguns times treinaram manhã, tarde e noite em dias que eles poderiam estar descansando e isso fez uma diferença boa para o nosso time por exemplo, refrescou a mente dos jogadores.
A gente também tem atividades corriqueiras de relaxamento, meditação, temos um planejamento para caso obviamente a gente chegue nos próximos campeonatos a gente consiga dar esse pequeno descanso e uma respirada.

Claudio e Pierre

Quero saber isso dos dois, nós vimos que nos outros times que o Ayel passou ele recebeu muitas críticas, na última entrevista que tivemos com o Micão ele nos contou que o Ayel é muito empolgado e que às vezes eles precisam controlar essa empolgação do Ayel, como está sendo o trabalho com ele?

Claudio: O Ayel é um jogador extremamente polido mecanicamente e ele tem essa coisa de por exemplo, se ele começa a ganhar no jogo, ele logo se anima, grita, e uma coisa que a gente teve que ir com calma, é que às vezes e dentro do macro play funciona, você matar um jogador de um lado do mapa para você conseguir objetivos do outro lado. E as vezes ele se empolgava nessas ações e ele queria dar TP rápido, eu não sei o quanto isso atrapalhava ele no dentro dos time, mas em si a gente conseguiu uma união entre ele e os outros jogadores até no aspecto pessoal já que eles curtem juntos, eles saem juntos, eles tem esse envolvimento pessoal que facilita bastante essa convivência entre eles.

Pierre: O Ayel, pelo menos uma impressão pessoal que eu tenho dele, é que ele é um menino que tem um potencial infinito de evolução, ele é um cara que tem um potencial muito grande e um cara muito coração, muito emotivo e sempre foi e da pra perceber nele isso diariamente. Mas, lá dentro da INTZ, além dele ter um ambiente competitivamente bom, e todo mundo levantar a moral dele, saber como ele joga, a gente ao mesmo tempo conseguiu trazer essa emoção dele junto com o racional.

Não é cortar o estilo dele nem nada assim, mas pegamos a parte boa que o emocional dele traz para o jogo nessa questão do protagonismo, da liderança e de jogar para frente e colocamos isso em um ambiente estratégico onde podíamos usar isso muito bem.
Hoje ele não só se sente incluído como em uma família, mas também mais livre para poder exercer o potencial dele e esse destravamento ainda não tinha acontecido.

E Pierre, sobre o novato Envy, como foi a preparação dele para o CBLoL?já que vimos que nas primeiras semanas ele aparentava um nervosismo que sumiu para essa série de vitórias da INTZ.

Pierre: O Envy é um menino novo, nosso bebezinho (risos), e ao mesmo tempo é um cara que tem uma cabeça madura muitos falam que pessoas novas demoram para se adaptar, mas como ele é um cara que tem uma maturidade muito grande para entender o jogo e entender a nova fase da vida dele ele assimilou isso muito bem, e isso não vem do nada isso é algo que ele tinha há muito tempo, ele sonhava com o CBLoL, queria participar do competitivo, então mesmo ele não tendo uma passagem tão longa como outros jogadore, ele já veio com uma cabeça muito bem preparada para aprender.

O mais importante de um bom aluno é a cabeça preparada para receber informação, e isso se aliou ao fato de ter um excelente professor que é o Peter Dun, e um excelente psicólogo e um excelente ambiente, ele chegou e se encaixou como uma luva para o time e o fato dele ter jogado menos solto nas primeira semanas é realmente uma questão natural, uma barreira natural que você tem que vencer e a ficha dele caiu muito rápido e é isso que está dando esse destaque para ele.

Houve muitas mudanças no time para esse split uma delas foi a saída do coach Alex, o quanto essa saída mudou para o time, na sua opinião Pierre?

Pierre: Eu não posso falar por experiência, porque eu entrei faz pouco tempo, mas apesar do Alex ter saído eu acho que a principal parte do trabalho ficou, que é a questão do ambiente e o Peter já vinha trabalhando com eles a 1 ano mesmo que de longe, então eu acho que a essência e a estrutura da staff foi envolta dele. Eu acho que isso deu para sentir diferenças tanto na troca de players quanto na troca de staff.

Mas, é um trabalho sempre contínuo de manter sempre o mesmo ambiente, de manter a mesma qualidade de ensino e aprendizagem no time.

Nós viamos que muitos diziam que a INTZ de 2016 tinha problema de comunicação com o Alex devido a barragem linguística, esse foi um dos pontos levados em consideração na escolha do Claudio no estúdio com os meninos?

Pierre: Na verdade não, a gente teve um problema com o Peter porque ele precisou se ausentar, e eu acho que a maioria das pessoas sabem que ele teve que se ausentar uma vez e talvez ele tenha que se ausentar novamente em breve por conta de problemas de saúde da família que ele tem lá fora.

Então por isso a INTZ optou por colocar alguém que esteja presente o tempo todo, no caso o Cláudio que já está trabalhando a mais tempo com a equipe, e essa foi a opção mais segura para a gente. E é por isso que o Cláudio está lá, não por ruídos na comunicação nem nada do tipo.
Mas, estamos estudando a opção do Peter assumir em breve e possivelmente veremos ele no palco fazendo o draft.

Quero a sua opinião pessoal e profissional sobre o porque a Keyd não emplacou ainda, já que temos a Red Canids e a INTZ que são times novos que estão dando aula de sincronia e bom jogo?

Pierre: Eu sou mais assitente de coach do que propriamente analista, mas vamos lá. O que eu enxergo é que o maior problema da Keyd não é questão de individual, de grupo ou de repente a staff, o maior problema da Keyd foi principalmente na montagem do time.

A montagem do time levou mais em consideração os nomes do que encaixe, para que você faça uma equipe funcionar é necessário que você crie uma equipe, você precisa criar um grupo e nesse grupo criar um senso de trabalho em equipe, de como jogar, movimentar idéias de como fazer as coisas unidos e colocar todo mundo na mesma roda, aí sim você começa a rodar e as coisas começam a sair mais perfeitas.

Então talvez o problema da Keyd seja mais no começo, na questão da montagem do time realmente. Eles tem ótimos jogadores, não só os dois que saíram da INTZ mas o Esa, o Takeshi e o Zirigui eles são muito bons e tem muito futuro pela frente. Mesmo que eles não consigam o playoff nesse split.

Acho que houve um pouquinho de afobamento na hora de montar o time, “Vamos trazer um monte de estrelas e fazer funcionar pegando o melhor que tem aqui, o melhor que tem ali”, e não pensar nessa questão de equipe em si.

 

É isso ai gente, essa foi nossa conversa com o Pierre e com o Claudio, espero que tenham gostado, e não esqueçam de continuar mandando suas perguntas!

E não se esqueça dia 11/03 às 13 horas começa a última semana da fase de grupos do CBLoL!

Comments

comments

eSports

SirT é oficialmente o jungler do time do Flamengo

Published

on

SirT é oficialmente o jungler do time do Flamengo

Após muita espera finalmente o Flamengo fez o primeiro anuncio de um dos jogadores de sua lineup de League of Legends.

Como já era especulado na mídia, Túlio “SirT” Carlos, foi confirmado pelo time nessa segunda feira (04 de dezembro), e será o jungler titular time.

Túlio fez sua carreira no brasil na paiN Gaming ao lado do que achávamos ser seu eterno duo, Gabriel “Kami” Bohn. Após o primeiro split de 2017, o jogador deixou sua antiga organização ao receber a noticia que Tay seria o novo titular da equipe, mas o jungler não ficou parado e atuou pela Challenger Series Norte-Americana pela Big Gods.

O Flamengo apenas anunciou seu coach Mit, e o restante da lineup continua apenas nas especulações da galera.

A equipe jogará o Circuito Desafiante, mas promete um lineup digna de 1° lugar do CBLoL

Comments

comments

Continue Reading

League of Legends

INTZ vence Team One e fica com título do ‘Challenge of the Gods’

Published

on

INTZ vence Team One e fica com título do ‘Challenge of the Gods’

Em disputa emocionante, Intrépidos batem rivais por 3 a 2; Vitória marca primeira conquista da nova line-up

A primeira conquista de uma nova era. Assim pode ser definido o triunfo do INTZ no showmatch de League of Legends do “Challenge of the Gods”, realizado neste domingo (26), no Ginásio Tancredão, em Vitória. Os Intrépidos bateram a Team One por 3 a 2, em duelo emocionante, que animou os quatro mil torcedores que prestigiaram o evento.

O triunfo marca a primeira conquista do INTZ com sua nova line-up. Pela terceira vez a nova bot lane atuou junta – formada agora por Pedro “Ziriguidun” Ferreira e Luis “Felipe” Absolut. Cada vez mais adaptados ao clube, eles contaram com o apoio imprescindível de Diogo “Shini” Rogê. O caçador ficou com o prêmio de melhor jogador da partida.

“Queríamos muito vencer a Team One, até porque são os atuais campeões brasileiros. Além disso, jogar com tanto público é muito bom. É um novo momento do time, e estamos no caminho certo. Queremos embalar e chegar forte nesta reta final de ano”, comenta Shini.

Considerado o maior evento gamer do estado, o “Challenge of the Gods” reuniu grandes nomes do cenário. A equipe do INTZ, inclusive, participou de ações com intuito de aproximar os fãs da organização, como um “meet and greet” com o público.

Além do título do showmatch, os Intrépidos ficaram com a premiação de 20 mil reais.

No showmatch de CS:GO, que contou com quatro times, o INTZ terminou na segunda colocação, após vencer a ProGaming nas semifinais e perder a final para a Team One.

Agora, o foco da equipe de League of Legends dos Intrépidos novamente se volta para a Superliga. O INTZ tem três triunfos e duas derrotas em cinco jogos, e está no segundo lugar da chave B.

Comments

comments

Continue Reading

League of Legends

CBLoL ganha novo formato em 2018

Published

on

CBLoL ganha novo formato em 2018

Com Fase de Pontos em Melhor de 3 (Md3), mudanças trazem mais competitividade ao torneio

A Riot Games anunciou o novo formato do Campeonato Brasileiro de League of Legends (CBLoL), que será aplicado já na próxima etapa da disputa, em 2018. Sofreram alterações a Fase de Pontos, a Fase Eliminatória e a Série de Promoção. Além disso, algumas regras também foram readequadas para a nova temporada.

O objetivo dessa mudança é trazer mais competitividade e qualidade de nível de jogo para a liga. Se 2017 foi um ano de afirmação do CBLoL no cenário esportivo brasileiro, coroado por grandes histórias e uma audiência engajada em diferentes canais, 2018 será o ano de dar um próximo passo em direção à consolidação da maturidade da liga, trazendo uma competição cada vez mais profissional e cheia de rivalidade, e buscando o espaço do CBLoL entre as maiores ligas do mundo.

Para proporcionar a melhor experiência aos jogadores, a Riot Games pretende, com as alterações, oferecer partidas ainda mais emocionantes e estimular a evolução técnica do gameplaybrasileiro, sem perder a atratividade do conteúdo do campeonato ao público, que acompanha as partidas todos os finais de semana nos canais oficiais ou na televisão.

O novo formato foi definido com base em feedbacks da comunidade, times e jogadores profissionais. A empresa também fez análises internas do cenário internacional e de outras ligas regionais ao longo do ano de 2017.

Veja abaixo todas as alterações:

  • Melhor de 3 – A principal e grande mudança do campeonato é a implantação do formato Melhor de 3 (Md3) na Fase de Pontos, que oferece às equipes mais oportunidades de atuar de maneira estratégica. Além disso, não existirá mais empate, o que garante maior nível competitivo. O time vencedor de uma série ganhará três pontos na tabela.

Testar uma composição na primeira partida, utilizar substitutos ou mudar de tática no meio da série: vale tudo quando no final apenas uma equipe vencerá a disputa.

  • Escalada (Gauntlet, como é conhecida em ligas internacionais) – A Fase Eliminatória do CBLoL também terá um novo formato: a Escalada. Nesse modelo, a equipe classificada em primeiro lugar na Fase de Pontos vai direto para a Final. Já times do segundo ao quinto lugar vão disputar a outra vaga, se enfrentando em séries Melhor de 5 (Md5). O primeiro ponto da Escalada é a disputa entre o quarto e o quinto colocados. O vencedor encara o terceiro, e quem sair por cima disputa a vaga para a Final com o segundo colocado. Ou seja: esteja a equipe em segundo ou quinto lugar, ela terá chances de chegar à decisão.

A Riot Games optou por essa mudança para premiar as melhores campanhas da Fase de Pontos e, ao mesmo tempo, garantir mais competitividade entre as equipes a caminho da grande Final.

  • Série de Promoção – O time com a pior campanha (oitavo lugar) na Fase de Pontos ainda será rebaixado automaticamente para o Circuito Desafiante. Da mesma maneira, o vencedor da “série B” sobe para o CBLoL.

O que muda é que a série que começa a Escalada (quarto contra quinto) também inicia a Série de Promoção. O perdedor desse confronto enfrenta o sexto lugar do CBLoL. Quem falhar, pega o sétimo. O derrotado dessa última série encara o vice-campeão do Desafiante pela última vaga na Etapa seguinte do Campeonato Brasileiro de League of Legends.

“Além da versatilidade estratégica, a Md3 é ponto de equilíbrio entre o aumento de partidas e a boa experiência dos fãs de LoL e de Esports”, afirma Carlos Antunes, diretor de Esports e Publishing da Riot Games no Brasil. “Ainda temos grandes desafios, mas acreditamos que essas alterações serão importantes para que a região brasileira se torne mais competitiva no futuro, sem comprometer o alto engajamento da torcida e a grande audiência, que já é uma marca registrada das disputas semanais do CBLoL”, completa Antunes.

Entenda melhor com o infográfico:

infografico-2018

Com a nova configuração do campeonato, o nível técnico da liga tende a crescer e, consequentemente, devem aparecer novos talentos e possibilidades estratégicas para que os times possam arriscar em táticas no CBLoL. Para acompanhar essa evolução, a Riot Games decidiu adequar as regras de alterações dos elencos das equipes. Sendo assim, já na próxima Etapa da competição, os times poderão inscrever até dois atletas fora da Janela de Transferências sem penalização, desde que sigam as demais regras (Antialiciamento, Limite de Jogadores, entre outras). Mais informações serão divulgadas em breve.

Veja mais detalhes sobre o novo formato do CBLoL em LoLEsports BR, site oficial do campeonato.

Comments

comments

Continue Reading

Trending