Connect with us
Konami Codes, International Superstar soccer Konami Codes, International Superstar soccer

Games

International Superstar Soccer: a série de video-game que faz a gente gostar de futebol

Published

on

Nos anos 1990, enquanto a gente bebia um suco de morango numa daquelas embalagens transparentes em formato de carrinho e comia um chocolatinho da Turma da Mônica, o International Superstar Soccer era considerado o melhor jogo sobre futebol que existia.

As intermináveis tardes com os gritos de “gol, gol, gol!!!” começaram em 1995, ano em que Konami, a desenvolvedora do jogo, fez seu lançamento para o console Super Nintendo. Você podia escolher seleções de diversos países e contava com um gameplay intuitivo e envolvente.

A seleção brasileira contava com o mito Allejo, o melhor jogador da geração 16 bits, e outros personagens criados pelo imaginário de quem jogava International Superstar Soccer, como o Fuerte, da Argentina.

A Konami já tinha experiência na criação de jogos de futebol, pois havia lançado o International Soccer (1983 – Commodore 64), Konami’s Soccer (1985 – MSX) e Konami Hyper Soccer (1992 – NES). Cada título teve suas particularidades e inovações que contribuíram para a criação do jogo que nos encantou nos anos 1990, com sua visão isométrica e melhorias gráficas.

Poucos meses depois, o jogo chegou ao Mega Drive e PS1, como International Superstar Soccer Deluxe. Com isso, os jogadores sentiram a melhoria do visual e da inteligência artificial, além de poder jogar com outra pessoa e o comentarista ter mais falas.

Outras versões surgiram e a franquia evoluiu para série “Pro Evolution Soccer”, segundo a revista OldGamer, edição 21.

Falando em versões, o jogo teve alguns mods por aqui para que pudéssemos jogar com nossos times. Assim, surgiu o “Ronaldinho Soccer 97”, por exemplo, uma homenagem ao “astro dos campos” do momento (antes dele amarelar na copa de 1998).

Eu, particularmente, lembro dos meus primos jogando por horas a versão Deluxe com seus amigos. Eles ficavam muito entretidos e competiam para ver quem fazia mais gols. O meu primo mais velho, Suquinha, conseguia fazer tantos gols que eu ficava irritada. Sinto saudades dessa época, pois ele foi assassinado com apenas 21 anos.

Esta diversão simples e toda a diversão marcou profundamente minha infância e tenho um carinho especial pelo International Superstar Soccer.

Como era o jogo Internacional Superstar Soccer?

No jogo haviam 36 seleções divididas por regiões e 6 seleções com os melhores jogadores de cada continente. Os uniformes lembravam as vestimentas dos times oficiais.

Você podia escolher entre três níveis de dificuldade: fácil, médio e difícil. Eu não lembro se o pessoal da minha família conseguiu terminar o jogo no modo difícil. Isso me lembra das telas de password que exigiam uma combinação de símbolos gigantesca e era complicado tentar desenhar num caderno.

International Superstar Soccer Deluxe contava com seis modalidades diferentes e que você podia escolher dependendo dos dias que pagou na locadora para ficar com a fita:

  • Open Game – uma partida amistosa;

  • International – podemos considerar como uma “copa do mundo”;

  • World Series – quase uma liga internacional;

  • Scenario – cenários divertidos que faziam referências a partidas de jogos de futebol reais;

  • Penalty Kick – era apenas a disputa de penaltis;

  • Training – modo de treino para melhorar a performance.

Diferenciais do jogo

Para quem gosta de jogos de futebol hoje dia, tudo o que contei aqui não tem nada demais. Porém, posso destacar as seguintes características:

  • Configuração do time – você podia fazer diversas combinações (3-5-2, 5-4-1), como se fosse um técnico, e tinha liberdade para escalar os jogadores que considerava melhores;

  • Emoção no telão – acredita que os melhores lances apareciam num telão? Também acontecia de aparecer imagens quando o jogador levasse um cartão vermelho;

  • Jogadores – os personagens tinham nomes fictícios, mas se tornaram craques tão importantes quanto os reais. Além disso, você podia ver os status deles e saber se eles estavam bem ou cansados demais para jogar;

  • Cenários – o jogo contava com seis estádios diferentes e que representavam os seis continentes. Cada um tinha um tamanho e você ainda podia escolher jogar no sol, na neve ou na chuva;

  • Bandeirinhas e juízes – eles realmente desempenhavam suas funções como na vida real.

Konami Codes

Não sei se meus primos ou meu irmão usavam estes recursos, mas haviam “Konami Codes” para facilitar as coisas (ou simplesmente dar boas risadas). Era costume do pessoal da época, anotar essas preciosas informações em cadernos, assim como os passwords de outros títulos que permitiam pular algumas fases. Confira o que acontecia no International Superstar Soccer Deluxe quando utilizávamos alguns destes comandos.

Gol! Gol! Gol! – sim, você não pararia de marcar pontos se utilizasse a seguinte sequência: antes da partida começar, acesse a Key Configuration e depois selecione Charge Controler e deixe “manual” na opção área B. Quando começar a partida e um lance lateral ao seu favor acontecer, aperte ao mesmo tempo os botões L e R. Você vai perceber que conseguirá controlar o goleiro. Assim que pegar a bola, corra até o gol adversário e entre com bola e tudo! Fique pressionando o botão de chute até ficar satisfeito com o número de pontos.

Time All Star – você pode jogar com o time composto pelos melhores jogadores fazendo a seguinte sequência na tela de apresentação: B, B, X, X, A, Y, A, Y, Direita, Esquerda e X.

Transforme o juiz em cachorro – basta fazer a seguinte sequência na tela de apresentação: Cima, Cima, Baixo, Baixo, Esquerda, Direita, Esquerda, Direita, B e A.

Todas as habilidades – tenha 100 skills para otimizar seus jogadores fazendo o seguinte macete: vá até a opção Skills Level e use todos os 100 pontos que você tiver. Em seguida, saia desta opção e entre novamente e aperte Y em um jogador aleatório. Assim, você consegue mais 100 pontos para distribuir no time.

Se você não quiser usar estes artifícios, você pode se divertir com os desafios e crescer com o aprendizado.

O que você achou deste jogo? Chegou a jogar ou ver alguém mais velho jogando?

Comments

comments

Continue Reading
Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Games

Playstation Classic: o console para os saudosistas dos anos 1990

Bruna Andrade

Published

on

Playstation Classic: o console para os saudosistas dos anos 1990

Está por todos os lados: no cinema, nas séries, na moda, na música – nas terríveis armações minúsculas de óculos de sol. Trata-se do revival de “todas as coisas” dos 1990, a década eleita para ditar o que é “cool” no momento.

Assassin’s Creed Odyssey explora o mundo da Grécia Antiga

A nostalgia não parou por aí: os “90’s” viram nascer e se multiplicar o fenômeno mundial dos consoles, e a consolidação das gigantes Nintendo e Sony. Muito natural então, que nesta onda saudosista, as duas potências dos games reviverem seus grandes sucessos da década.

O que todo gamer deve saber sobre periféricos

Chega em dezembro de 2018 às lojas o PlayStation Classic, para coincidir com a data em que foi lançado originalmente no Japão, em 1994.

Mini Me

Playstation Classic. Sony

O console é 45% menor do que o original, mas nem tudo é tão “vintage” assim: o PSC vem com dois controles, conexão para smart TV e um cartão de memória virtual.

E os games? Eles também voltaram, e embutidos na memória do console. A lista inclui vinte títulos, escolhidos para agradar aos tradicionalistas de todos os estilos de game.

Largada

A chegada do PSC não é tão surpreendente assim, já que a rival Nintendo re-lançou no começo de 2018 o Mini NES.

Primeiro console da empresa, de 1983, o Mini foi um sucesso estrondoso quando a primeira leva debutou no mercado, em 2016.

Em 2018, as vendas superaram a dos consoles dominantes entre o público, o PlayStation 4 e o Nintendo Switch.

Super Nintendo Classic Edition

Playstation Classic. Sony

Mas se é possível baixar jogos antigos no consoles de hoje, qual a vantagem de se ter essas versões “retrô”? Bom, a resposta é nostalgia pura pela era que lançou os gráficos 3D.

Entre os jogos que serão disponibilizados para acompanhar o lançamento do console, estão Final Fantasy VII, Metal Gear Solid, Resident Evil original, Ridge Racer Type, Castlevania: Symphony of the Night.

Confira a lista completa:

  • Battle Arena ToshindenCool Boarders 2

    Destruction Derby

    Final Fantasy VII

    Grand Theft Auto

    Intelligent Qube

    Jumping Flash

    Metal Gear Solid

    Mr Driller

    Oddworld: Abe’s Oddysee

    Rayman

    Resident Evil Director’s Cut

    Revelations: Persona

    Ridge Racer Type 4

    Super Puzzle Fighter II Turbo

    Syphon Filter

    Tekken 3

    Tom Clancy’s Rainbow Six

    Twisted Metal

    Wild Arms

Comments

comments

Continue Reading

Games

SEGA lança aplicativo com jogos clássicos

Bruna Andrade

Published

on

SEGA lança aplicativo com jogos clássicos

SEGA Forever anunciou Shining Force Classics, novo aplicativo da coleção para Android e iOS. O aplicativo reúne os jogos “Shining in the Darkness”, “Shining Force” e “Shining Force II”.

Conforme informado, Shining in the Darkness foi lançado originalmente em 1991 para o Mega Drive. O jogo apresenta calabouços para explorar em primeira pessoa. O jogo até foi lançado com tradução para português pela Tec Toy no Brasil. Os outros dois jogos também são clássicos RPGs lançados para o Mega Drive. Além disso, o aplicativo pode ser baixado gratuitamente. No entanto, o aplicativo possui propagandas que podem ser dispensadas mediante pagamento. R$ 6,90 é o preço por jogo e R$ 16,90 nos três jogos.

Comments

comments

Continue Reading

Games

Finais mundiais da Rainbow Six Pro League têm 85% dos ingressos esgotados; saiba quais setores ainda estão à venda

Bruna Andrade

Published

on

Finais mundiais da Rainbow Six Pro League têm 85% dos ingressos esgotados; saiba quais setores ainda estão à venda

Evento acontecerá nos dias 17 e 18 de novembro, na Jeunesse Arena, no Parque Olímpico do Rio de Janeiro. Entradas restantes variam de R$ 20 a R$ 120

Quem não quiser ficar do lado de fora da competição mais esperada do ano precisa correr. Os ingressos para as finais mundiais da Rainbow Six Pro League, que acontecerão nos dias 17 e 18 de novembro, na Jeunesse Arena, no Parque Olímpico do Rio de Janeiro, estão acabando. Dos sete setores disponíveis no local, apenas dois ainda estão à venda: cadeiras dos níveis 2 e 3. As entradas para esses setores variam de R$ 20 a R$ 120 e podem ser adquiridas pelo site R6esports.com.

Duas representantes brasileiras estão na disputa pelo título mundial. De origem norte-americana, tanto FaZe Clan quanto Immortals entraram no cenário brasileiro neste ano e querem consolidar suas marcas, mostrando o porquê são referência nos esports.

As equipes terão a missão de manter o país no posto mais alto do cenário competitivo de Rainbow Six Siege. Nas finais da sétima temporada da Pro League, disputada em Atlantic City, em maio, a Team Liquid mostrou a força do Brasil para o mundo ao derrotar a PENTA Sports, favorita ao título, e faturar o troféu.

Evil Geniuses e Rogue, dos Estados Unidos, as europeias G2 Esports e Mock-it, além de Nora-Rengo e Fnatic, representantes da Ásia-Pacífico, também estão na disputa pelo mundial e pela premiação de 275 mil dólares, que será distribuída entre as vencedoras.

O sorteio do chaveamento colocou frente a frente brasileiros e europeus nas disputas das quartas de final. A FaZe, primeira colocada da América Latina, enfrentará a Mock-it, segunda colocada do velho continente, que eliminou grandes favoritas durante a fase regional. Já a Immortals terá o desafio de superar a G2 Esports, campeã do Six Major Paris em agosto e antiga line-up da PENTA, organização detentora de dois títulos da Rainbow Six Pro League em 2017 e um do Six Invitational em fevereiro deste ano.

Outros dois confrontos fecham as quartas de final da competição. Evil Geniuses e Rogue medem forças com Fnatic e Nora-Rengo, respectivamente.

Os jogos serão transmitidos ao vivo pelo Sportv.com e canais oficiais do Rainbow Six Esports Brasil na Twitch e no YouTube. A grande final terá transmissão ao vivo no canal SporTV 3.

São esperados 20 mil torcedores na Jeunesse Arena nos dois dias de evento.  Em 2017, São Paulo foi responsável por abrir as portas e receber a final mundial pela primeira vez no país.  Os cerca de dois mil ingressos disponíveis foram esgotados em menos de uma hora e uma torcida calorosa acompanhou cada segundo da competição.

“Estamos felizes em proporcionar aos torcedores brasileiros o maior evento de Rainbow Six Siege já realizado e também o maior evento de esports do ano no Brasil. Serão dois dias de partidas emocionantes e do mais alto nível, e a chance de ganharmos mais um título mundial em casa, diante de uma arena Olímpica lotada.”, afirma Marcio Canosa Soares, Diretor de Esports da Ubisoft para América Latina.

Confira a programação geral das finais da oitava temporada da Pro League  e conheça as equipes classificadas:

FaZe Clan (América Latina): Primeira colocada da região latino-americana com boa vantagem sobre as demais equipes, a FaZe chega como uma das favoritas para as finais da Pro League. Depois de campanha abaixo da expectativa no Six Major Paris, o time tenta encontrar o caminho das vitórias em torneios internacionais.

Mock-it (Europa): Com quatro alemães e um suíço em sua line-up, a Mock-it tem surpreendido o cenário europeu de Rainbow Six com suas boas atuações e se classificou na última rodada da primeira fase, deixando para trás favoritas à vaga como Team Secret e Millenium.

Nora-Rengo (Ásia-Pacífico): Equipe mais forte da região Ásia-Pacífico, a Nora-Rengo quer repetir o sucesso local em um torneio presencial internacional. Durante a primeira fase, venceu 12 dos 14 jogos que disputou.

Rogue (América do Norte): Apesar de não ter o mesmo prestígio da rival Evil Geniuses, a Rogue sempre alcança bons resultados nos torneios presenciais que disputa. Nas últimas três finais mundiais, ficou entre as quatro melhores equipes.

Evil Geniuses (América do Norte): Primeira colocada da região norte-americana, a EG chega como uma das favoritas ao título da oitava temporada, depois de bater na trave novamente ao perder para a G2 na decisão do Six Major Paris.

Fnatic (Ásia-Pacífico): Os australianos da Fnatic já possuem alguma experiência em torneios presenciais e tentam melhorar o seu desempenho representando região APAC, onde têm conseguido resultados expressivos.

G2 Esports (Europa): Antiga line-up da multicampeã PENTA, a G2 chega novamente com o status de forte candidata ao título. Embalada pela conquista do Six Major Paris e pela campanha impecável na primeira fase desta Pro League, Niclas “Pengu” Mouritzen e seus companheiros buscam mais um título mundial.

Immortals (América Latina): Depois de ganhar a disputa contra a atual campeã da Pro League, Team Liquid, pela segunda vaga na região da América Latina, o time da Immortals poderá surpreender a todos na estreia mais difícil dentre todos os times: vai encarar a atual campeã do Six Major Paris e maior favorita ao título, a G2 Esports.

Comments

comments

Continue Reading
%d blogueiros gostam disto: