Connect with us

Equipes brasileiras vão buscar conquista inédita para o país; Vencedor da disputa em Katowice leva mais de R$ 200 mil

O fim de semana será de muita emoção para os fãs de eSports. Neste sábado (20) e domingo (21), acontecem as finais mundiais da primeira temporada de 2017 da Pro League, campeonato mundial de Tom Clacy’s Rainbow Six Siege, na ESL Arena, em Katowice, Polônia. Oito equipes lutam pelo título: Penta Sports (UE), GiFu (FIN) e gBots eSports Club (ESP), da divisão Europa; Flipsid3 Tactics (EUA), Vertical Gaming (EUA) e Elevate (EUA), da América do Norte; e Black Dragons (BRA) e V3 Masters (BRA), da LATAM.

Os dois representantes brasileiros buscam um título inédito para o país. Para isso, irão enfrentar os melhores times de todas as regiões. Além do troféu, US$ 167 mil serão distribuídos em premiações – o vencedor leva para casa US$ 75 mil. A Black Dragons chega para a disputa invicta e credenciada pela conquista do grupo LATAM. Foram quatro partidas disputadas na competição, com quatro vitórias.

No sábado (20), pelas quartas de final da fase final da Pro League, a BD irá enfrentar a GiFu, da Finlândia. A equipe adversária foi vice-campeã do grupo Europa, e é apontada como uma das mais tradicionais da modalidade. A partida acontecerá às 8h (horário de Brasília).

“Nas disputas desta fase, jogaremos com o Diogão (Diogo “Diogo1” Vieira) no lugar do Bullet1 (José “Bullet1” Victor). Trabalhamos muito durante toda competição com o objetivo de estar aqui disputando este título tão importante. Agora, em Katowice, nós estamos muito focados nos jogos. Estou muito feliz por disputar o campeonato e representar o Brasil em um mundial. É uma honra muito grande”, comentou Leo “Zigueira” Duarte, um dos integrantes da Black Dragons.

A V3 Masters, que surpreendeu as grandes favoritas na divisão LATAM, aposta na força coletiva para chegar longe na fase decisiva. No sábado, o time enfrentará a norte-americana Vertical Gaming, que conta com uma line-up muito experiente e foi vice-campeã do grupo América do Norte, às 10h45 (horário de Brasília), também pelas quartas de final do torneio.

“Thyy” Nicézio, capitão da V3 Masters, projeta  a fase final: “Estamos determinados a brigar pelo lugar mais alto do pódio. Treinamos e ponderamos os detalhes dos jogos que já disputamos. Queremos levar o título. A equipe está muito feliz por representar o Brasil longe de casa. O nosso grupo é novo. Então, para todos nós, é a realização de um sonho jogar com os melhores times de todas as divisões”.

As finais da primeira temporada da Pro League de Rainbow Six Siege serão disputadas em sistema mata-mata simples. Serão quatro duelos pelas quartas de final, no sábado, que definirão os semifinalistas. As semis serão jogadas no domingo, mesmo dia da grande final da competição (tabela abaixo).

Transmissão ao vivo no Brasil

As transmissões da fase final da Pro League de Rainbow Six Siege também serão veiculadas em português, diretamente de Katowice, Polônia. Em tempo real, André “Miligeni” Leal e Otávio “Retalha” Ceschi, in loco, trarão todos os detalhes da decisão nos canais da Ubisoft e-Sports, no Twitch e Youtube.

Premiação da Pro League

Premiação das etapas regionais

3º lugar: US$ 7,5 mil (somente na divisão LATAM)

4º lugar: US$ 6 mil

5º-6º  lugares: US$ 4,5 mil

7º-8º lugares: US$ 3 mil

Premiação da fase final

Campeão: US$ 75 mil

Vice:  US$ 30 mil

3º-4º lugares: US$ 15 mil

5º-8º lugares: US$ 8 mil

Operation Health em detalhes

Após o anúncio da Ubisoft Montreal do plano de melhora do ambiente do jogo para os próximos três meses, a equipe de desenvolvimento do Rainbow Six Siege vai apresentar um painel sobre o assunto no domingo, dia 21, a partir das 9h15.

Apresentado por Justin Kruger, da equipe de desenvolvimento, este painel irá mostrar os detalhes dessa operação de melhoria e os planos para os próximos três meses, explicando o motivos que farão com que a escolha deste pacote de atualizações beneficiarão a longevidade do jogo.

O painel será transmitido na íntegra, em português, no http://www.youtube.com/ubisoftesports

Rainbow Six Pro League 2017

A Pro League de Rainbow Six será disputada na plataforma PC durante três temporadas (seasons), em 2017, compostas por grupos regionais com os melhores times da Europa, América do Norte e América Latina. A competição distribuirá uma premiação total de U$237,500 mil na primeira temporada de 2017. As decisões da primeira temporada acontecerão em Katowice, na Polônia, em 20 e 21 de maio.

 

Comments

comments

Bruna Andrade - Conhecida por ai como Nana ou Pandora Nana, cosplayer, geek, publicitaria, streamer e redatora da Gaming News. Louca por jogos e e-sports. Me segue lá nas redes sociais: Instagram: @pandora.nana Twitter: @pandoranana_

Continue Reading
Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cobertura

Top Dota 2 – Campeonatos Para Apostar

Eric Colombo

Published

on

Anualmente há diversos campeonatos entre jogadores de Dota 2 e League of Legends ao redor do mundo. Além de poder acompanhar os jogos, é possível também usar o conhecimento desses jogos a seu favor. Você pode apostar em Dota 2 e outras modalidades.

Qualquer tipo de aposta online exige um mínimo de conhecimento sobre a modalidade na qual vai apostar. Se já sabe como se joga Dota 2 então está com boas vantagens.

Para facilitar vamos explicar como você pode apostar nessa modalidade, e apresentaremos um preview do China Dota2 Supermajor. Um dos maiores campeonatos de Dota 2 do mundo.

Funcionamento dos campeonatos

Já que está pensando em apostar nesses campeonatos Valve Dota então primeiramente precisa entender como estas competições. Tudo começa com times convidados, e times qualificados. As qualificatórias ocorrem geralmente em todos os continentes, mais as CIS, ou seja, as Comunidades dos Estados Independentes.

A premiação de grandes eventos pode chegar até $1.500.000 Dólares. Sim, há muito dinheiro envolvido nestas modalidades. Por isso vale a pena conhecer um pouco mais.

Os campeonatos geralmente ocorrem com pequenos grupos de equipes, onde há disputas entre as equipes do grupo, e terminam com a grande final, depois de semi-final e quartas-de-final. Até mesmo oitavas-de-final, dependendo do número de equipes que participa.

Favoritos China Dota2 Supermajor

Neste campeonato são 16 equipes disputando o título. 10 times são convidados e 6 qualificam-se por região. Os times são divididos em 4 grupos com 4 integrantes cada. Os dois melhores de cada grupo avançam para a disputa de chaves principal. Os dois piores para a disputa de chaves secundária.

O grande diferencial é que, mesmo ficando entre os últimos do grupo, uma equipe pode chegar a final. Pois na final disputam o melhor da chave principal com o melhor da chave secundária.

Dentre os times que merecem destaque está o PSG.LGD, que foi o grande campeão do EPICENTER XL em cima do Team Liquid, um dos times mais bem ranqueados da modalidade.

Antes de ganhar do Team Liquid, o PSG.LGD ainda desbancou o Virtus.pro, outra equipe que possui boa reputação entre os amantes de Dota 2.

Como apostar e ganhar em Dota 2 online

Para que possa acompanhar esses campeonatos, e ainda por cima ganhar dinheiro online é preciso ter cadastro em um site confiável que ofereça este tipo de serviço. É o caso do GG.bet.

Pelo site https://gg.bet/pt/betting encontra tudo que precisa para completar as apostas nestes campeonatos, como o China Dota2 Supermajor. As odds e opções de aposta por mapa, número de mortes no time, e até mesmo as skills de cada equipe estão expostas de forma clara, facilitando a vida do usuário.

Jogos mais competitivos podem render bons lucros. Como é o caso do Vici Gaming vs VGJ.Thunder. Na sessão https://gg.bet/pt/dota2 encontrará a disputa entre estas duas equipes. As odds evidenciarão quem é o favorito. O time que tiver com as menores odds é o favorito para sair vitorioso.

Mas nem sempre o favorito é o vencedor, e é aí que um bom apostador ganha. Fique atento aos resultados e prognósticos para Dota 2, e comece hoje mesmo a fazer suas apostas.

Comments

comments

Continue Reading

eSports

Novo modo de jogo com sistema de “Pick e Ban” de operadores para Rainbow Six Siege

Bruna Andrade

Published

on

Ubisoft anuncia novo modo de jogo com sistema de “Pick e Ban” de operadores para Rainbow Six Siege

Com mudanças no cenário competitivo, atualização permitirá banir operadores e trará novas estratégias para o jogo

A Ubisoft divulgou nesta terça-feira (8) mais detalhes sobre o novo modo competitivo de Rainbow Six Siege, que irá permitir o banimento de operadores pelos players. O “Pick e Ban” dará a cada equipe a opção de anular dois operadores para a partida.

Anunciado pela primeira vez durante o Six Invitational, o novo modo será introduzido com o lançamento da segunda temporada do Ano 3 e vai mudar o processo de seleção dos operadores no jogo, trazendo uma variedade de novas estratégias para o cenário competitivo do Rainbow Six Siege.

“Pick e Ban” será um recurso usado durante a sétima temporada da Rainbow Six Pro League e em eventos competitivos oficiais.

No cenário competitivo, a dinâmica de rodadas também será diferente. Cada partida terá cinco rodadas de ataque e cinco de defesa em sequência, sendo que os times não vão alternar entre eles. A primeira equipe que conseguir seis pontos vencerá a partida.

A nova rotação de rodadas deve ser menos confusa para a audiência, já que as equipes não trocarão de lado a cada uma delas. Da mesma forma, isso deve permitir que os times façam adaptações de suas estratégias em tempo real, sem precisar mudar sua mentalidade de ataque para defesa a cada momento.

Em sua essência, o “Pick e Ban” é uma ferramenta que introduz um novo mecanismo de banimento em que dois operadores de ataque e dois de defesa se tornam indisponíveis durante toda a partida. O objetivo é aprofundar a estratégia do jogo, trazendo diferentes opções em um confronto e criando a possibilidade para jogadores construírem seu próprio META.

Por exemplo, se um operador em particular é considerado uma ameaça, o “Pick e Ban” coloca o poder nas mãos dos jogadores, que podem criar uma estratégia que anule o estilo de jogo de seu oponente. Uma equipe pode banir um operador, não porque ele é forte, mas porque o time adversário joga melhor com ele.

Pré-Jogo

Preparação

Inicialmente, você precisa criar uma partida personalizada e então ir para as configurações do jogo. De lá, poderá ativar e desativar a ferramenta de Ban. Você também precisa selecionar o tempo por fase de proibição. Para espelhar as configurações da Pro League, você também poderá ativar o Sexto Pick e selecionar a hora para esta fase. Por último, você define a rotação do objetivo para rodadas ganhas.

– Fase de Ban

Durante a fase de Ban, os times alternam turnos para banir atacantes e defensores para o mapa, seguindo esta ordem:

1.       Time defensor: bane atacante 1

2.       Time atacante: bane atacante 2

3.       Time atacante: bane defensor 1

4.       Time defensor: bane defensor 2

A ordem de Ban foi feita para prevenir que o time que vai jogar primeiro bloqueie pares de operadores críticos para o outro lado. Por exemplo, a equipe que começar no ataque sempre terá o segundo Ban de operador de ataque e o defensor sempre terá o segundo Ban de defesa. Enquanto os operadores são banidos por uma partida inteira, a fase de pick ainda acontecerá toda rodada.

Spawn e Seleção do Bomb

Depois da fase de Ban, os atacantes vão selecionar o seu Spawn, local em que cada player renasce após uma rodada, e os defensores vão selecionar o Bombsite, onde está a defesa.

Fase de Pick

Ambos os times vão escolher seus operadores depois de decidirem o local de Spawn e Bombsite. Não houve muita mudança nesta parte, mas as equipes poderão selecionar seu operador sabendo onde estarão defendendo ou nascendo para o ataque.

Durante a partida

Fase de Revelação e Sexto Pick

Depois da fase de Pick, todos os operadores são revelados para os dois times deixando cada jogador ciente da escalação inimiga. Seguindo a “Revelação”, cada time pode ativar o Sexto Pick ou a possibilidade de escolher novamente um de seus operadores. Esta sexta escolha é alheia ao time inimigo, pois eles não sabem se um operador foi trocado e muito menos qual deles.

Pensamento dinâmico e boas decisões são a chave na sexta escolha, já que os jogadores vão querer atrapalhar seu oponente, enquanto tentam entender a estratégia inimiga. Blefe, adaptação e diversidade são partes fundamentais deste processo.

Rotação de rodadas

Cada partida terá cinco rodadas de ataque e cinco de defesa em sequência, sendo que os times não vão alternar entre eles. A primeira equipe que ganhar seis rodadas vencerá a partida.

A nova Rotação de rodadas deve ser menos confusa para a audiência, já que as equipes não trocarão de lado a cada uma delas. Da mesma forma, isso deve permitir que os times adaptem suas estratégias em tempo real, sem precisar mudar sua mentalidade de ataque para defesa a cada momento.

Rotação Objetiva

Existem duas opções para a Rotação Objetiva: “Jogar” e “Por Vitória”. O “Jogar” é a implementação atual, em que, se um time vence em um objetivo, ele deve jogar um número determinado de rodadas em outros objetivos para voltar a jogar no anterior. Já “Por Vitória” é um conjunto de regras alternativas em que, se um time vencer um objetivo, ele deve ganhar um número X de rodadas em outros objetivos para voltar a jogar nele. Perder em outros objetivos não desbloqueia os outros conquistados anteriormente.

Com o novo estilo de Rotação Objetiva, chamado “Rounds Vencidos”, as equipes serão obrigadas a ganhar um determinado número de rodadas em outros Bombsites antes de retornar ao que ganharam anteriormente. Isso evitará que as equipes simplesmente disputem as rodadas e assumam a derrota antes de retornar a um bombsite que venceram anteriormente.

Comments

comments

Continue Reading

eSports

Battlerite Pro League 2018 na XLG

Bruna Andrade

Published

on

XLG irá realizar a etapa sul-americana da Battlerite Pro League 2018

Referência em produzir, organizar e transmitir competições de esports no Brasil, a XLG UOL anuncia parceria com a Stunlock Studios, desenvolvedora do Battlerite, uma modalidade de esportes eletrônicos que cresce exponencialmente no mundo.

Dividida em três ligas regionais – Europa, América do Norte e América do Sul, os clubes lutam por duas vagas na Dreamhack de Jonkoping, na Suécia, que será disputada entre os dias 16 e 18 de junho, e distribuirá cerca de R$ 100 mil em premiações.

Neste domingo, às 19h tem início a etapa sul-americana. Só nesta temporada serão 80 mil dólares de premiação (250 mil reais).

A Battlerite Pro League 2018 é mais uma competição com a estrutura da XLG. Desde 2017, a empresa realiza as edições do Brasileirão Rainbow Six, a Gwent Pro Cup e o CFEL. A disputa da etapa da América do Sul da BPL será de forma online e vai até o dia 27 de maio, quando será disputada a final.

Com o princípio de fomentar os esports no Brasil, a nova parceria representa mais um passo importante para a XLG. Tendo em vista a larga experiência em realizar grandes torneios desde 2012, a BPL será a quarta competição organizada pela empresa em 2018.

“Mais uma vez, teremos a missão de levar ao público brasileiro uma modalidade que vem em processo de crescimento e possui muita margem de evolução no país. Como sempre falamos, a XLG tem como grande objetivo ajudar a desenvolver o cenário em parceria com as publishers. Estamos honrados em fechar essa parceria, que achamos muito promissora”, afirma Felipe Campos, Head de esports no UOL.

O cenário competitivo do jogo vem crescendo. Com mais de 4 milhões de usuários, o Battlerite figura constantemente entre os games mais baixados da categoria free-to-play (gratuitos) da Steam.

Com disputas de torneios profissionais na América do Sul que dão vaga para etapas mundiais, a expectativa é de que a base de fãs brasileiros do jogo, lançado em 2016, continue aumentando.

Datas
05/06 de maio – Fase de grupos
12/13 de maio – Fase de grupos + tiebreaks se necessário
19/20 de maio – Playoffs
26/27 de maio – Finais

Comments

comments

Continue Reading
%d blogueiros gostam disto: