Connect with us

Games

Análise – Monster Hunter: World

Published

on

Depois de 12 anos depois do lançamento do último jogo da franquia Monster Hunter para console, no começo desse ano (2018) temos a volta triunfal do jogo. Leia abaixo a nossa impressão de Monster Hunter: World.

Monster Hunter – Mudanças

Antes de começarmos a falar do jogo,  vale lembrar que a série Monster Hunter passou por algumas mudanças, já que era um jogo voltado para um público de nicho. O Objetivo da Capcom mudou algumas coisas no jogo, mas o mais importante que a jogabilidade ela manteve quase que inalterada. No começo você pode até achar a jogabilidade é ruim, mas não se engane, a jogabilidade é até que então complexa no primeiro momento só que aos poucos você vai vendo que não é isso. No jogo podemos andar, correr, atacar, pular, esquivar, usar itens e além de poder fundir matérias para criar armamentos e armaduras para o seu personagem. Tudo isso e mais um pouco fazem com que o gameplay de Monster Hunter: World seja completo em questão de movimentos. Um único problema que você vai perceber é que os controles bem de vez em quando demoram alguns segundos para responder ao seu comando, isso acontece com muita raridade, porém quando acontece pode significar a perda de uma batalha contra um monstro. Outra coisa que vale lembrar é a dificuldade do jogo que é alta, e o pior, não podemos diminuir ela, para muitos dos veteranos da franquia o jogo pode ser até simples, mas os novatos podem ter um pouco de trabalho no começo.

Podemos dizer que desde o primeiro Monster Hunter, lançado oficialmente no Playstation 2, os gráficos sempre foram belos, e no World não é nada diferente. Temos um dos jogos mais belos do console, com gráficos muito bonitos e com uma qualidade e velocidade de renderização muito boa. O medo era que para os consoles de entrada da nova geração, como o Playstation 4 e o Xbox One, o jogo ficaria muito diferente da versão normal para as versões premiums(PS4Pro, XOneX). Mas isso foi algo que a Capcom soube trabalhar muito bem, pois obviamente temos uma melhora gráfica, principalmente com as sombras e algumas texturas estão melhores. Ou seja, você tendo um console de entrada vai conseguir desfrutar dos belíssimos gráficos que Monster Hunter: World tem a oferecer. Abaixo separamos um vídeo de comparação entre o jogo rodando no Playstation 4 e no Playstation 4 Pro. Só vendo você pode tirar suas próprias conclusões:

Uma coisa que decepciona por enquanto é a conexão do jogo, podemos jogar MHW em coop com até 16 jogadores, mas nas missões só podemos ter ajuda de mais 3, isso seria maravilhoso se a conexão online do jogo não fosse HORRÍVEL. Nos primeiros dias de lançamentos os servidores estavam totalmente irregulares, mas até já era de se esperar, já que nos primeiros dias o jogo vendeu aproximadamente de 5 milhões de cópias, algo que até a própria empresa não estava esperando. O fato é que os servidores até hoje estão danificados, muitas vezes tentamos convidar diversos players para jogar em party e em quase 98% das vezes deu erro na hora de entrar. E sem contar nos loadings que demoram bastante. Mas o bom é que a Capcom já anunciou que irá melhorar os servidores para que os jogadores conseguissem jogar com uma maior tranquilidade.

História

Falar de histórias em jogos do tipo Monster Hunter é meio complicado, já que o jogo se foca quase que exclusivamente no combate e na exploração do Novo Continente (como é chamado o mundo em que MHW se passa). Vemos o nosso personagem ingressar em um grupo onde o foco é caçar e matar monstros, e o nosso objetivo no jogo é esse, caçar e matar. No final das contas quase que ninguém vai reparar na história e muito menos a sua qualidade, quando se temos vários monstros para matar, prestar atenção em outra coisa fica um pouco complicado. Apesar de tudo, senti falta de no mínimo uma história de fundo um pouco mais trabalhada junto com um enredo mais bem feito.

Idioma

Outro fator bacana para nós da terrinha do pau Brasil, é que o jogo está com legendas e interfaces totalmente em português do Brasil, sendo assim o primeiro jogo da franquia a trazer algo do tipo.

Vale a pena?

Monster Hunter World tem os seus pontos fracos, mas no final da conta consegue entregar tudo o que prometia e ainda um pouco mais, com pequenos problemas o jogo está caminhando para ser um dos jogos mais bem avaliados pela crítica e pelo público dos últimos anos.

Confira o trailer do jogo logo abaixo:

Monster Hunter: World já está disponível para Playsation 4 e Xbox One.

O jogo foi testado em um Playstation 4 e foi fornecido pela Capcom para ser realizada a análise.

Comments

comments

Continue Reading
Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Games

Ori and The Will Of The Wisps É Anunciado pela XBOX – E3 2018

Rapha

Published

on

Um dos jogos que muitos gamers apostaram para a conferência do Xbox na E3 de 2018 era a continuação de Ori and The Blind Forest. Durante a conferência da empresa na E3 de 2017, foi anunciado a continuação, o game Ori And The Will Of The Wisps.

Ori And The Will of The Wisps foi o primeiro jogo a ser anunciado pela empresa durante a conferência.

Gameplay Trailer Novo Ori

 

Conferência Xbox E3 2018 – Tempo Real

Informações

Data de lançamento: 2019

Gênero: Ação/Plataforma

Desenvolvedora: Moon Studios

Distribuidora: Microsoft

Plataformas: Xone/Windows 10

 

 

Comments

comments

Continue Reading

Games

Vídeo game e a nostalgia

Published

on

vídeo game e a nostalgia

Não quero cair no lugar-comum do “antigamente os video-games eram melhores”, “no meu tempo era divertido”. Ficar presa ao passado e a forma como conheci os jogos não vai me fazer evoluir e nem conhecer histórias e maneiras diferentes de jogar.

Eu prefiro jogos de plataforma em 2D e não me dou bem com 3D. Não jogo mobas, não conheço nada sobre League of Legends ou eSports. As vezes jogo umas partidas de Mario Kart ou Splatoon 2 no Nintendo Swtich online e isso é o mais próximo que tenho disponível para me divertir com outras pessoas (conhecidas ou não).

Acontece que, às vezes, a nostalgia não me faz conhecer coisas novas e fico imaginando que não vou aprender nada útil. Também enfrento dificuldades para me adequar as novas dinâmicas e aos novos recursos. Minha cabeça não aceita muito bem a visão em 3D e fico com o estômago embrulhado quando a câmera muda em alguns momento.

Além disso, fico incomodada com algumas mecânicas e a jogabilidade. Não me dou muito bem quando tenho que usar muitos botões.

Ah e como os botões me irritam! Cada console tem seu esquema e fico perdida com a posição do X: cada controle tem o seu esquema de botões.

Os jogos novos usam muitos comandos e eu não sei muito bem o que fazer, a não ser que seja um joguinho de luta.

O hábito de valorizar o que é familiar

Hoje temos novas versões de consoles antigos, como o Atari, o Nintendinho, o SNES e o Neo Geo Pocket. Também há a opção de ter todos estes consoles em um Raspberry Pi no formato que você desejar!

Sim, a nostalgia vende sobre a vontade de reviver um pouquinho daquelas tardes em frente a televisão de tubo, bebendo suco e comendo salgadinhos.

Contudo, será que realmente precisamos nos manter presos ao passado? Por que é tão difícil apreciar e valorizar o que é novo?

Ao demonstrar um comportamento fechado e retrógrado nos comportamos como a geração anterior a nossa (e não importa qual geração e sua “localização” no tempo). Manteremos os valores que recebemos, as opiniões quadradas que ouvimos, o machismo e mania de “sabermos tudo por causa da idade”. Jamais saberemos tudo e nem no momento da morte estaremos completos.

Por isso, vamos parar com o velho discurso que “jogar tal jogo da moda é coisa de criança ou de menina”.

O que você achou deste artigo? Deixe um comentário!

Comments

comments

Continue Reading

Games

Arena The Contest Arrecada 5 Vezes mais que o Valor da Meta no Primeiro dia de Kickstarter

Rapha

Published

on

Arena: The Contest é um jogo de tabuleiro criado pela empresa Brasileira Dragori Games, jogo será lançado mundialmente.

Confira: Arena: The Contest teaser trailer do jogo de tabuleiro baseado em Lol e Wow

Meta Kick Starter

A meta para lançamento do jogo era de U$ 50.000,00, ontem por volta das 15:00 h, o boardgame teve seu financiamento coletivo iniciado no Kickstarter, uma das plataformas de crowdfunding mais famosas do mundo.

Até o presente momento o jogo havia arrecado o valor de U$ 321.000,00, quase 7 vezes mais o valor da meta estipulado pela Dragori Games.

Até as 18 h do dia 27-03, uma miniatura exclusiva para apoiadores, após esse horário a miniatura custará U$ 7,00

Encerramento de Financiamento

O Jogo terá seu financiamento encerrado no final de Abril, então garanta o seu acessando a página do jogo no Kickstarter clicando aqui.

Eu já garanti o meu, então aproveite e garanta o seu também.

 

Comments

comments

Continue Reading
%d blogueiros gostam disto: